quinta-feira, junho 22, 2017

Moscovo Teremok

As tradutoras/ assistentes do escritório sugeriram ir ao Teremok (o “p” em cirílico é um “r” ocidental). Chamei-lhe o “MacDonals Russo”, há em todo o lado e o wikipedia diz que se especializam em crepes Russos (blinis).
“Estudei” no hotel antes de sair, para ver o menu, tentar traduzir e lá fui. Na porta dizia que falavam inglês... nah... mas disse, apontei e consegui facilmente experimentar o que queria: a famosa sopa borscht,  com beterraba e carne picada, deliciosa! Escolhi uma panqueca/ blini com salmão e ainda (haja barriga!) uns pelmeni, dumplings com recheio de carne (ou pode ser peixe ou cogumelos) com sour cream.
Para beber um Kvas, bebida gaseificada feita de pão escuro, sem álcool. Soube melhor vindo da “torneira” à pressão do que comprado em garrafa no supermercado. E pacotinhos de sal e pimenta, engraçados... em “Russo” J

quarta-feira, junho 21, 2017

Moscovo Confeitaria Pushkin

Tinha referência de um café/ pastelaria/ confeitaria com o melhor éclair da cidade. E à falta de mais sugestões, caminhado pela cidade, porque não experimentar?
Não confundir com o restaurante, este Pushkin é um mimo de visitar, faz lembrar a Confeitaria Nacional na baixa em Lisboa.
Dedicada à pastelaria Francesa, cheia de bolinhos, doces e iguarias docinhas para regalar com os olhos. 
Ora então o objectivo era um eclair, havia de baunilha, maracujá, caramelo e chocolate. Escolhi maracujá, para ser mais diferente. 
E no entretanto pedi uma tarte/quiche para levar, já estava com pressa para o comboio de regresso a S. Petersburgo e não tinha jantado. Queria a de peixe mas não estava pronta, levei a de carne, que veio com uma garrafinha de caldo/canja, para adicionar. Era tão grande que foi jantar de Sábado e almoço de Domingo...
Que maravilha de éclair, realmente... uma delícia, um momento doce e descanso merecido... embora stressada com o metro para voltar para o comboio... Não foi barato, cerca de 6.5eur, mas foi uma vez e valeu bem a pena!

terça-feira, junho 20, 2017

Moscovo Catedral de S. Basílio

Estando na praça vermelha, é impossível não reparar na igreja colorida, qual conto de fadas cheio de imaginação. Mais conhecida por catedral de S. Basílio, o nome oficial é Cathedral of the Intercession of the Most Holy Theotokos on the Moat (ufa).
Entro, não entro, valerá a pena?... Fui, já que ali estava e tinha tempo, 8eur de entrada. 
Do séc XVI, construída a pedido do Ivan o Terrível para comemorar a captura do sr Kazan em Outubro de 1552.
É uma igreja difícil e confusa de visitar, porque é composta por 8 igrejas/ capelas em redor, uma nona ao centro e uma décima ainda ao lado. Meio labirínticas mas muito coloridas e catitas.
Podia ser um bolo ou casinha de bonecas, é mesmo de uma arquitectura e cores muito peculiares, alegre!

segunda-feira, junho 19, 2017

Moscovo Kremlin

Bilhetes comprados online no dia anterior (tive sorte de ter lugar no slot das 14:30), cerca de 11 eur, levantei no quiosque a meio dos jardins, evita-se a fila, mais um controlo de malas e estou dentro do Kremlin!
Tudo parece normal, é influência a mais de filmes de espiões em que os Russos são sempre os maus...
A “fortaleza dentro da cidade“ tem 5 palácios, 4 catedrais, o muro enorme e várias torres em redor da área onde, supostamente, vive o presidente da federação Russa.
A visita da Armoury Chamber, com hora marcada, tem guia áudio gratuito. Mas fiquei confusa com o que a sra me disse, por isso comecei no sítio errado e não estava a perceber os números das salas... comecei a fotografar até que uma sra me disse que não podia, ah não sabia...
Carruagens antigas, vestidos, coroas, jóias, armas, adereços para os cavalos... 
Muito interessante mas também cansativo de ouvir tudo e ver tudo, os presentes ao Estado, loiças, cerâmica, pratas, ovos e outros trabalhos da casa Fabergé...
Souvenirs baratinhos nas lojas lá dentro, embora não soubesse, mas comprei os imans da praxe.
Depois há muitas igrejas ortodoxas para visitar, com pinturas/gravuras nas paredes e pilares, do chão até ao tecto, muitos turistas e guias que bloqueiam a passagem...
O canhão dos Tsares e o sino enorme dos Tsares, muitas toneladas.
Vi o heliporto onde o sr Vladimir aterra quando lá vai trabalhar, mas não o vi! 
É um espaço agradável para visitar, no centro da cidade sem confusão, jardins bonitos e espaço para descansar, ver o mapa e delinear o percurso seguinte...

sexta-feira, junho 16, 2017

Moscovo Praça Vermelha

Depois da volta turística no metro, tinha a grande expectativa de ver a praça vermelha, com vários edifícios de cor vermelha, pois claro, calçada (aparentemente com pedras vindas da Áustria) e turistas qb.
Houve uma pequena falha na visita que só percebi depois de ter voltado. Não sabia (falta de preparação...) que o mausoléu do Lenin estava lá na praça, por isso não procurei, não vi, passou-me (literalmente) ao lado... Havia uma estrutura a ser desmontada, um palco, provavelmente porque na semana anterior tinham sido feriados importantes, talvez com discursos ou concertos. E de lado também estava vedado... por isso passei, não fotografei, não olhei... numa das fotos consigo ver as barreiras, seria por ali, mas... oops!

Catedral de Kazan, museu do estado, paredes do Kremlin, um centro comercial caríssimo mas num edifício muito bonito, e a catedral de S. Basílio, que tinha um “íman” imediato e tive de me aproximar para ver. É como ver a torre Eiffel pela 1ª vez... um marco de cidade, conhecido pelas fotos e filmes, ao vivo e com muitas cores!
Mas tinha bilhete com hora marcada para o Kremlin, voltei para trás e fui pelos jardins do Alexandrovsky encontrar as bilheteiras.
Turistas no meio das túlipas (até parece que estou na Holanda!), estátua do sr Alexandre e do Vladimir, confirmo que estou em Mockba!
Depois de visitar o Kremlin sai-se para a praça vermelha, e passei no shopping caríssimo com pouca gente, concentrada nas várias bancas/carrinhos de gelados. Dizem que são bons mas não sabia qual era o especial e não apetecia estar na fila...

Muito pouca gente fala inglês, em todo o lado, é um bocado frustrante enquanto turista, mas o meu Russo também não é muito desenvolvido...

quinta-feira, junho 15, 2017

Moscovo Metro

A 1ª dica de uma colega Russa era percorrer a linha circular do metro, a 5, castanha. E assim, foi, entrei e saí em todas as estações... o bilhete na máquina custou 85cent por uma viagem, tinha instruções em inglês J
Quase sempre havia polícia e eu com receio de que achassem suspeito eu sair da carruagem, tirar umas fotos e voltar a entrar... Mas havia grupos de turistas com guia em várias estações, eu não era a única maluca a fazer aquilo...
As estações são monumentais, espaçosas, muito mármore, iluminação de candelabros impressionantes, limpo, arejado...
O metro teria wifi mas o meu telemóvel não quis ter rede na Rússia muitas vezes, chato. Um mix muito diferente de culturas... asiáticas, olhos rasgados, peles escuras, caras fechadas, expressões duras...
Muitas foices e martelos, o sr Lenin, famílias, mulheres trabalhadoras, jogos de xadrez, vitrais...
Até tinha sítio dedicado para tirar fotos, portanto não estava a fazer nada de errado!
Muita riqueza em todas as estações, bem cuidado, pintado, brilhante... os metros variavam entre o velho e o menos velho, muito frequentes e, para um sábado, achei que não tinham muita gente.
Demorei quase 1h no entra e sai, fotografias e contemplações. Por menos de 1eur é como se fosse a um museu... vale a pena!

quarta-feira, junho 14, 2017

Moscovo

6f confirmei que não ia ter de trabalhar no fds, por isso podia... ser maluca e ir a Moscovo 1 dia... e assim foi! Já tinha visto preços dos comboios na semana anterior (220eur) e no dia anterior (270eur), mas no próprio dia já estavam bastante mais caros, quase 300eur. Mas tentei, com o cartão de crédito Visa tuguês e não estava a dar... contactei o banco em PT e... bloquearam o cartão porque o site era suspeito... devia ser equivalente à “CP” russa mas sempre é Rússia... boa, agora fico sem cartão VISA para compras online, e por lá não costumam aceitar Amex, não são BFFs dos EUA... mas para transações presenciais o cartão ainda ia funcionar.
Quase a desistir, perguntei aos consultores e sugeriram outro site Russo, onde os preços eram... 1/3! E beneficiei de um cartão russo, paguei em dinheiro. Fui!
Acordei às 5 e picos da manhã, pedi ao hotel para me arranjar um pequeno-almoço para o caminho e fui de uber até à estação. Rx na estação e lá me sentei no Sapsan, comboio das 7am que me ia levar a Moscovo em 4h. 1ª desilusão, o wifi era só para a classe executiva... na ida levei o tapa olhos e dormitei, li os panfletos e comecei um livro novo.
Cheguei! Com algum receio (bastante, que depois se revelou desnecessário, até levei a bolsa interior à volta da barriga para ter o passaporte e dinheiro em mais segurança, mas mais vale sempre prevenir que remediar... sozinha em Moscovo) e lá fui para o metro. Consegui comprar o bilhete na máquina e fui dar a volta na linha circular do metro, a 5. Posts dedicados virão!
Depois passei a ver o teatro Bolshoi, a casa do ballet e ópera Russos. Comi num restaurante pequenino do centro comercial lá ao lado e segui para a praça vermelha (posts futuros)... e depois ao Kremlin (idem, posts futuros).
E depois fui andando pelas ruas pedestres a ver as vistas, a tentar (sem sucesso) ter wifi gratuito. Entrei no Tsentralnyy Detskiy Magazin na Lubyanke, um centro comercial inteiro de 6 andares dedicado totalmente aos miúdos... lojas de brinquedos, de roupa, sapatos, cabeleireiros, pinturas, carrocéis, actividades, comida, cinema... tudo para os mais novos. Um conceito diferente e engraçado! Com algum custo (elevadores cheios, escaldas rolantes longe e também cheias) consegui chegar ao terraço, para ter uma vista (gratuita) da cidade, com os marcos mais importantes descritos. Giro!
Segui por ruas pedestres, animadas, solarengas (uma cidade com sol causa sempre melhor 1ª impressão!). Entrei numa livraria para finalmente comprar postais, tinha boa pinta. E fui a um café comer um éclair e comprei o jantar que comi no comboio de regresso (post futuro, pois). Quase a correr para o comboio de regresso, novamente às 7 mas da tarde, já custou mais um bocadinho a passar as 4h mas lá cheguei a S. Pete. E sem conseguir net, não havia uber, e não querendo arriscar táxi local (preço elevado, algum risco), fui de metro e caminhei mais um bocado até ao hotel. Resultado, foram 15.5km caminhados, estive fora do hotel cerca de 18h, foi um dia muito muito cansativo, mas valeu a pena!

E foi dia do Benfica ganhar o tetra, e do Papa visitar Fátima e de ganharmos o festival da canção! Quando cheguei ao hotel, exausta, consegui ver o fim na app da rtp play, as votações, uau! E depois deram a conferência de imprensa e a reportagem e só fechei a loja às 3 da manhã, quase com uma directa em cima! Quando cheguei pedi na recepção que me guardassem uma banana e um iogurte, ia falhar novamente o pequeno-almoço, pena, seria tipo brunch e podia comer com calma todas as coisas boas, mas fui passear e precisava de descansar, não se pode ter tudo...

Moscovo, check! Fiquei com boa impressão da cidade, com vida e alegre, diferente de S. Pete. Os consultores eram quase todos de lá e diziam que preferiam Moscovo. Menos turistas, menos palácios e edifícios monumentais, diferente...