quarta-feira, julho 26, 2017

Bierfabriek

O Bierfabriek antigamente era a brasserie Harkema. Há 3 escolhas de jolas, todas boas e caseiras: puur, rosso e nero. Muitos e muitos amendoins por todo o lado, um snack simples que se torna um vício difícil de largar, vou só partir mais um…

E o franguinho é de facto muito suculento, bem apregoavam os amigos Romenos, quase tão bom como os nossos no churrasco. São conhecidos pelo molho BBQ para as batatas fritas, que antigamente a malta roubava para levar para casa, e depois os donos decidiram servir o frasco sem tampa, para dissuadir os clientes cleptómanos… é ok mas por mim vai bem sem molhanga…

segunda-feira, julho 24, 2017

Restaurante Buffet van Odette

Um colega Francês apregoava a qualidade da Odette, e sendo ele muito esquisitinho, seria então de confiar. Fomos em festa de anos, e como estava cheio (e a sra por engano até cancelou a reserva, mas depois arranjou-nos mesa), tivemos menu limitado a 3 opções de entradas, 3 de pratos e 3 de sobremesas. Assim não deu para experimentar o que tinha em mente, mas é para isso que se revisitam os bons sítios.
Ceviche (ok, não tão bom como o do Salmuera ou da cantina da Rosa) + salada com beterraba, queijo feta e avelãs + alcachofra com mostarda, tiram-se as “pétalas” e come-se a parte tenrinha.
Dos pratos meia mesa foi para o bife “Onglet” com puré de batata doce e meia mesa foi para os raviolis acompanhados de favas e espargos. Ambos muito bem servidos em quantidade e saborosos.
De sobremesa, o brownie era ok mas podia ser mais húmido, o sticky toffee cake era ok e o crumble não era doce… coisa estranha, e a sra disse que o deles era efectivamente pouco doce. Soa pouco a sobremesa um crumble a roçar o amargo, mas são opções…

Foi ok, a comida era boa, demorou um bocado porque estava cheio e dei o feedback à sra. Noutro dia logo provo a polenta e caponata. 

quinta-feira, julho 20, 2017

Prova de Chocolate e Rum

Voltámos ao Chocolatl para mais uma prova de chocolate, desta vez com rum! (A outra tinha sido com queijo)
2 copos bem servidos, dava para ficar um bocadinho inebriada sim senhora...
Desta vez tínhamos o nome dos chocolates e indicação da %, que pode ser de cacau ou massa de cacau, são contabilizados em conjunto... e dependendo dos países, há mínimos para se poder classificar como chocolate (branco...), de leite ou preto/escuro/negro.
O Rum era o Diplomático, da Venezuela, a 3 tempos, o Mantuano, branco Planas e de Reserva Exclusiva (notava-se diferença!). Combinados com os chocolates diferentes, ficavam combinações distintas. Provávamos o rum sem nada, o chocolate sem nada e depois em conjunto, mastigadinho e misturado... tinha vindo de um lanche e não tinha muita fome, se bem que para comer chocolate e beber rum nunca é um caso de fome. Mas não fui capaz de despachar o chocolate todo, levei numa caixinha.
E depois temos sempre 10% de desconto na loja e pedimos para provar coisas estranhas... com bróculos!? De facto... sabia a (água) dos bróculos. Gosto muito de um bom microfone de bróculo, mas em chocolate... nah... o de tomate também era pouco apetitoso mas semelhante ao sabor do doce de tomate que os meus tios fazem no Alentejo. Ainda assim, não seria o meu alvo como consumidora...

Sempre interessante e aprendem-se coisas novas. Fazem de whisky y cerveja mas gosto menos dessas bebidas. Sugerimos mais uma vez que combinassem com vinho do Porto, ficamos à espera da iniciativa...

sexta-feira, julho 14, 2017

Berlim confeitaria Fräulein Büker

Depois do brunch, não era certamente pela fome, mas tínhamos planeado visitar a confeitaria dasra Büker. Novamente num local fora do centro, noutro bairro residencial sem muita movimentação, a loja é um mimo de visitar.

Muita oferta de bolinhos caseiros, chocolates, biscoitos, bolachas, compotas, chás... provámos um “Florentiner Apfel” e um “Mohn Torte” com sementes de papoila. E um chá tisana muito bom. Simpatia da dona, um troca fraldas a caminho da wc que dava vontade de ter um bebé para o usar. E brinquedos na rua, caixa de areia, giz para escrever no chão e cadeirinhas pequenas para entreter os mais novos.

quarta-feira, julho 12, 2017

Berlim brunch no Schraders

Já chegámos tarde ao Schraders para brunch, acabava as 14h, mas ainda tinha petiscos suficientes para todos. Curiosamente, para lá chegar tinha de passar pela rua de Amsterdam!
Tinha muita coisa vegan e vegetariana, mas também carne e peixe, saladas, massas, couscous, azeitonas, dumplings asiáticos... Um brunch mais para o lado do almoço, embora também com bolinhos, cereais, fruta e coisas doces para pequeno-almoço tardio.

O chá de menta fresca era muito bom, e comi muitas e muitas cerejas! Staff simpático, tivémos mesa na esplanada e é um café muito agradável onde muitos locais vão ao fds. Não fica perto do centro, mas o bairro residencial tinha boa pinta e era recomendado para passeio.

segunda-feira, julho 10, 2017

Berlim memorial

Berlim está cheia de marcas da guerra, memoriais, museus, muro (Agosto 19661 – Novembro 1989)... e não era só um muro, tinha muitas mais barreiras de arames farpados, estruturas pontiagudas, areia, holofotes, cães, guardas... se passassem uma barreira, tinham logo outra de seguida.
Iamos em direcção ao mercado de Domingo e percebemos que havia muito que visitar na Bernauerstrasse, que teve o muro a dividir famílias e muitos episódios tristes para contar. A entrada do metro foi fechada e deixou de lá parar/ circular.
Há muitas explicações, como se fosse um museu ao ar livre, com gravações áudio da época, inglês e alemão. Uma delas ia dizendo o nome e idade das pessoas mortas a tentar fugir pelo muro, não era agradável de ouvir...
Para além de marcar onde passava o muro, e de ter ainda partes, também estão assinalados vários túneis que foram construídos por moradores para tentar escapar, mas logo denunciados e apanhados...
Passámos pelo memorial do muro de Berlim mas não visitámos o centro de documentação, com mais exposições e torre de observação. Muito interessante, e muito triste. A queda do muro não foi assim há tanto tempo, lembro-me quando aconteceu. E hoje há quem queira erguer novos muros... memória curta?...

sexta-feira, julho 07, 2017

Berlim Museu de História Natural

Fomos visitar o Museu de HistóriaNatural de Berlim tem o maior esqueleto de dinossauro do Mundo, logo à entrada, enoooorme, um Brachiosaurus brancai, com 13.27m de altura.
Também há uma sala dedicada ao “Tristan”, o esqueleto do Tyrannosaurus rex com a sua bocarra facilmente identificável.
E como é o esqueleto de um panda? E de um hipopótamo? E de uma arara? São menos comuns de ver e interessantes de visualizar, com o exemplo “inteiro a olho nu” e o modelo “raio-x” lado a lado.
Tem também uma exposição grande de minerais, um mini planetário para explorar o espaço, 30M de espécies representadas, com milhares de frascos transparentes (água e álcool) a preservar bicharocos e muitas outras curiosidades para ler e aprender.